Testemunhos

Elisa Di Gregorio

After graduating from my master's degree in Psychology, I decided to come to UCP for a six-month internship. From the very beginning I felt at home in the city, everyone was extremely welcoming, especially in the academic environment. I had the opportunity to work with other colleagues in the HNL and I immediately felt part of the community. The research experience within the lab was very formative: I had the possibility to work in close contact with many other researchers and get involved into different projects. Porto is a wonderful city to live and I am very grateful for my decision to come here.

Elisa Di Gregorio

Università Cattolica del Sacro Cuore, Milan – Italy

 

Lucia Penalba Sánchez, MSc. (Doutoranda)

The opportunity to live in Porto to complete my Ph.D. studies at the Faculty of Education and Psychology in Porto has been a fabulous experience to grow personally and professionally. The kindness and warmth of the Portuguese people made me feel very welcome from the very first moment I entered the country. And soon after arriving, I could say that I felt at home. Meeting new people from Portugal, as well as from other countries and cultures, is immensely enriching. Working with my advisor and lab colleagues is an enlightening, collaborative, and fun journey. The perfect mix of working autonomously, but at the same time having all the support I need from other researchers available, is being the ideal scenario for my development as a junior researcher who is well prepared for the current and future demands within the academy. I highly recommend this experience to any student willing to take a big step forward in their career in a multicultural environment.

Lucia Penalba

Blanquerna Universitat Ramon Llull, Barcelona – Spain

 

Falar sobre os meses em que estive no programa Erasmus+ a viver em Madrid é sinónimo de falar provavelmente sobre a melhor época da minha vida! Tive oportunidade de conhecer e partilhar momentos fantásticos com pessoas fabulosas provenientes de múltiplas culturas. Consegui conhecer os seus países de origem. Países que, provavelmente, eu nunca chegarei a conhecer fisicamente. Do ponto de vista académico, foi interessante conhecer novas abordagens de ensino, diferentes das praticadas em Portugal, o que se revelou enriquecedor e que, inclusive, fez com que repensasse o meu futuro profissional. Conhecer a cultura espanhola de uma forma mais profunda foi também muito enriquecedor. Tanto que, depois de tantos meses em casa com aulas on-line, o meu programa Erasmus+ decorreu após o segundo confinamento COVID-19 e pude disfrutar de uma “vida normal“ numa cidade como Madrid. Foi uma experiência verdadeiramente libertadora! Penso que o programa de Mobilidade Internacional nos proporciona uma vivência única e, em muitos sentidos, irrepetível. Como tal, a minha opinião é que todos os que tenham a oportunidade de o realizar, não devem desperdiçá-la!

Benedita Santos

Licenciatura em Psicologia FEP-UCP, estudante nacional em mobilidade em Espanha

 

Mudar-se para outro país, mesmo que esse país seja Portugal (no caso específico das semelhanças com o meu país, o Brasil), representa um grande desafio pessoal e a aceitação que também existirá um vazio quanto ao sentimento de pertença. Mas hoje percebo que a minha escolha de cursar Psicologia na Católica foi extremamente positiva para esses mesmos desafios, pois ampliou a minha vivência para além do académico. Aqui encontrei professores qualificados e humanizados, uma rede de apoio na qual tenho voz para questionar e me sentir acolhida. Acredito que a formação de um bom profissional se faz através dos indivíduos que o cercam e por isso tenho a convicção de que estou no caminho certo.

Débora Souza

Licenciatura em Psicologia FEP-UCP, estudante internacional do Brasil

 

Ser um aluno internacional, especialmente um brasileiro em Portugal, é se desafiar constantemente, estar aberto ao novo e se maravilhar com as várias possibilidades que essa experiência pode oferecer. Claro que sair da zona de conforto pode ser assustador e vir para Portugal difere grandemente das decisões dos colegas e amigos do Brasil. Mas ser um aluno internacional implica passar por situações de puro autoconhecimento, que não aconteceriam tão facilmente se ficássemos no nosso país natal. Além disso, viver em Portugal permite conhecer outros países na Europa, fazer intercâmbios e, no caso particular da Universidade Católica, se beneficiar de uma instituição com excelentes professores e chances de crescer profissionalmente.

João Sousa

Licenciatura em Psicologia FEP-UCP, estudante internacional do Brasil

 

Viver em Portugal representa para mim uma experiência única, com vasta segurança e qualidade de vida. Ao residir em Portugal, expandi minha consciência para a amplitude de oportunidades. Em Portugal, senti-me acolhida e respeitada por um povo hospitaleiro e civilizado. E se em Portugal sinto-me em casa; na UCP, sinto-me em família. Encontrei na Universidade Católica Portuguesa uma entidade qualificada, que otimiza os recursos teóricos e práticos no desenvolvimento de seus alunos, e os adequa às exigências do mercado de trabalho.

Jéssica Fraga

Mestrado em Psicologia FEP-UCP, alumni internacional do Brasil